terça-feira, 30 de junho de 2015

Aquela velha mania...

Eitaa queridxs!
Fiquei um tempinho sem postar e olhem, vou te contar pra vocês, foi por um motivo que eu preferia que não tivesse acontecido...
Num desses dias normais da vida, estava eu esperando meu namorado chegar do curso e nada dele chegar. É. Ele não chegava e eu não sabia o que estava acontecendo. Aí lá vai a Lê ciumenta ligar:
- Onde você tá?!
- Estou passando a festa Junina de Votorantim.
- O que você está fazendo aí?
- Ué, parei pra te atender!
Ok, até aí tudo bem. Ele havia parado pra me atender e não, ele não estava na festa. 
Mas tem um porém: ele estava de moto e depois dessa ligação, tinham se passado 30 minutos e nada de Gustavo me ligando dizendo que havia chego. Do local onde ele estava até minha casa, daria menos de 30 minutos com certeza. Dá-lhe Leticia ligando pro namorado.
Liga uma vez, nada. Liga duas vezes, nada. Liga a terceira:
- Alô. É a namorada do Gustavo? - Um desconhecido me pergunta.
- Sim, quem está falando?
- É um colega dele, estou com ele aqui na estrada e ele acabou de sofrer um acidente.
- Hãm? Como assim? Onde? Como? Como ele tá?
Já perceberam que atropelei o rapaz com meu desespero, né?
Ele tinha quebrado o fêmur e o braço. Não cabe aqui entrar em maiores detalhes sobre isso, mas GENTCHY, que angustiante. Quem já passou por isso sabe como é ruim não poder fazer nada, mas mesmo assim querer fazer algo e junto com isso vem o medo de atrapalhar quem realmente está ajudando.
Por conta desse acontecimento, venho lhes falar sobre: aquela velha mania de achar que tudo é pra sempre!
Tchypo, diante disso tudo que aconteceu, que querendo ou não, mudou as nossas vidas da noite pro dia, aprendemos que NADA é pra sempre e a única certeza que temos é da morte. Opa. Pesado né? Mas é verdade. A gente só se dá conta DE VERDADE de que algo/alguma coisa é importante pra nós, quando corremos sérios riscos de perder.
Mas tem uma diferença entre "perder - término de relacionamento" e "perder - morte". 
Quem passou por algo assim, pior ou parecido sabe que "perder - término de relacionamento" não é nada se comparado ao "perder - morte". Nos damos conta de que é preferível o primeiro do que o segundo. Por mais que seja dolorido, todos sabemos que passa. Quando se termina um relacionamento, temos todos os dias chances de tentar novamente. Mas e quando alguém morre? Quais as chances de ser melhor? De tentar novamente? De ser gentil com ela? NÃO EXISTEM CHANCES, além do próprio arrependimento de querer ter dito algo e não tê-lo feito.
A questão mesmo é: se acontecer algo do tipo com você, sua consciência estará tranquila?
E não imagine apenas como namorado/namorada, imagine um irmão, pai, mãe, amigo. E aí, você vai ter dito tudo o que teve vontade de dizer?
É clichê sim, mas não deixa de ser verdade: dê valor enquanto tem do seu lado!