quinta-feira, 23 de abril de 2015

Não gostar da mesma coisa que você, me diminui?


- Não é natural duas pessoas do mesmo sexo se relacionarem!
Oi. Oi! Oi??
Você que está aí já deve ter ouvido essa frase antes, não é? Seja na TV ou até mesmo pessoalmente. Somente espero que nunca a tenha proferido, porque né. 
Oxi Lê, resolveu criar polêmica agora? Não. Respeito o que cada um pensa sobre esse assunto, mas não sou obrigada a concordar. Se você sente nojo do público LGBT: baby, eu sentiria nojo do ladrilho do vosso banheiro que está sem lavar há décadas.
As pessoas costumam ter um preconceito absurdo em relação aquilo que não está presente em sua realidade e, que assim, consequentemente se tornam anormais. Se você não usa as mesmas roupas que ela, é chamada de brega, se não ouve as mesmas músicas, é desatualizada. Enfim. Kirida bota a cara no sol! Não é porque uma parcela da sociedade curte pessoas do mesmo sexo, que você é obrigada (o) a gostar também. Assim como o fato de existir ladrões no mundo, não te obriga a fazer parte desse grupo. É claro que existe uma diferença aí: no primeiro caso, é biológico, a pessoa não tem interesse pelo sexo oposto, desde sempre. Ela nasceu assim. Da mesma forma que você que está lendo, pode ser mulher e gostar de homem. Tu nasceu assim, é uma característica sua que está presente na sua genética. O segundo caso, dos ladrões, é uma questão moral. Você pode ou não fazer. Não nasceu com o desejo ou necessidade de roubar. O que é estranho, é que parece cada vez mais roubar/matar/agredir, estarem se tornando coisas naturais. As pessoas não se espantam mais. Você pode me dizer: claro, eles já convivem com isso há tempos. Justamente. Homossexualidade existe há muito tempo também e é encarada como doença. Até quando será que as pessoas vão esconder de seus filhos beijos gays na TV ou na rua? Até quando vão repudiar outras formas de amor que não seja entre um homem e uma mulher?
- Ah, é que eu sempre sonhei pro meu filho/filha que se casasse e constituísse uma família.
Três erros aí: "VOCÊ sonhou pro seu filho/filha"? "Constituir uma família" é somente para casais tradicionais? Primeiro: independente de qualquer coisa, acredito que o que importa pra você é a felicidade dele (a). Segundo: pra se constituir uma família é necessário que exista o amor. E qualquer pessoa, QUALQUER pessoa é capaz de amar, inclusive amar uma criança que não seja de mesmo sangue. Terceiro: não é porque seu filho (a) vê um beijo gay/lésbico na TV ou na rua, que ele (a) fará o mesmo. Se essa criança não nasceu assim, ninguém mudará isso, inclusive presenciar beijo de "dois iguais".
É muito cômodo termos um mundo onde todos somos iguais, que as pessoas gostam das mesmas coisas que nós. É mais fácil, porque assim não temos o trabalho de ter que lidar com as diferenças. Mas sinto em informar: as diferenças estão aí pra te ensinar que você é capaz de amar as pessoas, independente de cor, raça, sexo ou opção sexual, basta você se permitir a isso! O segredo mesmo, é você entender que não existe nada de errado em amar. Seja da forma que for.