sábado, 1 de agosto de 2015

18 momentos marcantes na minha vida!

E por esses dias, a Lê ficou mais velha! Aêê \o/
E em comemoração a isso, resolvi que faria um post reunindo os momentos mais marcantes na minha vida até hoje, ou seja: são 18 momentos.
Eu poderia reunir fotos aqui, mas não são de todos os momentos que tenho registro.
Todo mundo guarda na memória os momentos mais significativos em sua vida, aqueles momentos que contribuem para a nossa formação como pessoa, sabe? Então!
Lembrando que são os momentos marcantes pra mim, que eu lembro bem e não aqueles momentos do tipo: primeira palavra, primeiros passos. Não. Eu não lembro desses momentos, então não vale. 



1º momento marcante:
A casa da minha avó sempre esteve cheia de gente. Todo dia ia alguém, todo dia. E isso era bom, ela tinha muitos amigos, a família sempre se reuniu na casa dela. E sempre tinha alguma coisa lá, seja almoço de Natal, ano novo, aniversário, ou aqueles almoços de domingo mesmo, sabe? Com macarronada, maionese e carne.
E uma das primeiras lembranças que tenho, é de um Natal em que nos reunimos na casa dela e trocamos presentes e era tão gostoso. Todos os primos reunidos, com a vó, o vô, os tios, o dia gostoso, com um sol lindo. Uma ótima lembrança.




2º momento marcante:
Com 5 anos eu e meus pais fomos morar no Japão e essa experiência foi boa e ruim ao mesmo tempo porque eu tinha acostumado a brincar todo dia em casa, com meus primos, ir pra casa da minha avó passar o dia lá e indo pro Japão, isso ia "acabar". Mas o lado bom era que eu ia andar de avião e conhecer outro lugar. 
Esse momento, vale por dois, pois tenho vivos na memória a despedida do pessoal daqui, e a experiência de voar para outro país e conhecer coisas diferentes. 
Como eu era bem criança, essa questão da saudade do pessoal que ficou aqui não era tão ruim. É claro que os hábitos mudam, por mais pequena que eu fosse eu senti bem isso. A comida era diferente, as pessoas tem outra personalidade, o clima do local era diferente, eu ficava o dia todo na escola, não brincava mais na rua, e é claro que eu senti que a mudança foi grande.
Como tenho muitas fotos desses momentos, selecionei algumas que mais representam como foram as experiências:




3º momento marcante:
Aprendi a andar de bicicleta, de tanto cair nas plantas cheias de espinho. 
É, ou eu aprendia a andar logo, ou meus olhos iam ficar espetados nos espinhos e ardia muito.
Nossa, escrevendo esse post me veio a memória o dia em que fui com meu pai comprar a minha bicicleta, era uma loja ENORME. Não sei bem se aquilo era só uma loja mesmo ou se era um shopping, de tão grande. 
Enfim, voltando ao assunto que interessa de fato.
Depois que aprendi a andar de bicicleta, eu e meus pais íamos passear pela cidade só de bicicleta mesmo, eu era saudável e andávamos bastante até.




4º momento marcante:
Ainda estávamos no Japão e um dia, quando já estávamos deitados prontos pra dormir, eu e meus pais ouvimos uma música próximo de casa, e aquilo não parava e ficamos ouvindo aquilo por um tempo até que meu pai resolveu que íamos ver o que era. Era uma festa linda, espécie de um desfile, com pessoas fantasiadas, dragões, músicas, LINDO, mil vezes LINDO. 
De início me asssustei né, uma criança de 5 anos não tem tanto dissernimento das coisas e eu pensei alguma coisa, que agora não lembro o que, que expressava o quão assustada eu estava.



5º momento marcante:
O dia que a criançona intrometida aqui ralou o dedo junto com a cenoura.
É, creio eu que toda criança tem aquela coisa de:
- Mamãe, deixa eu te ajudar?
Eu tinha. E pra que eu queria ajudar a mãe? Pra arrancar um couro do meu dedo e chorar igual uma condenada depois.
Fui ajudar né, e arranquei o canto do meu dedo no ralador. Ai que delícia. 
CHOREI. Mas não sei porque eu chorei mais, se foi porque tava ardendo, ou se era porque eu estava com medo do meu pai me chingar. Mas ele não chingou. Deve ser porque estava ardendo mesmo HAHA

6° momento marcante: 
O dia em que eu, minha prima e minha mãe pilotamos um cisne. Oi?
Pois é. Pilotamos um cisne no shopping, pelo menos tentamos!
Foi divertido e até hoje não entendo a lógica daquilo: um pedalinho no shopping.

7° momento marcante:
O dia em que minha mãe fez chapinha no meu cabelo quando estava curto. Gente. Gente. GENTE. Pensem numa criança mumificada: era eu.
Eu nem o pescoço mexia pra não bagunçar o cabelo. Toda chiquetosa, me achando a mais mais, não tinha nem tamanho de gente! E até hoje não tenho

8º momento marcante:
Um belo dia, minha mãe chega em mim com a seguinte proposta:
- Lê, deixa a mamãe cortar seu cabelo?
Eu era criança ainda, e adivinhem o que eu fiz?
Exatamente, a cagada de deixar ela cortar. Mas eu me lembro muito bem, D. Fernanda, que você me disse que ia cortar apenas as pontas. Só que eu acho que as pontas estavam bem grandes, porque ela cortou chanel. Imaginem o horror. Uma criança gorda, de cara redonda pra encrenca, com o cabelo ENROLADO até o ombro. PeloamordeDeus.

9º momento marcante:
O dia que eu ganhei uma gatinha.
Antes de ir pro Japão, eu já tinha dois gatos, o Bimbo e o Mickey, mas eles ficavam aqui em Piedade e eu depois de voltar, fui morar em Sorocaba, então quem cuidava deles era minha vó.
Meu pai fazia feira, e um dia, no Éden, uma mulher surgiu falando que estava com filhotinhos de gatos e que estava doando. Ela ofereceu primeiro pra mim - olhem que esperta - e depois disso, falou com meu pai. Eu já tinha adorado o gato e meu pai deixou eu levar pra casa. 
O nome que tínhamos colocado era Ralf. Sim, nome fofo, super combinava com "ele". Até o dia que o Ralf apareceu grávido. Pois é, meu gato estava grávido. Aí que fomos olhar e percebemos que não tinha periquito nenhum ali, era periquita ¬¬ aí ficou "a Ralf", e ela veio embora conosco pra Piedade, e depois de um tempo morreu por conta de uma doença. 

 10º momento marcante
Quando " me apaixonei pela primeira vez". Nossa, que romântico! 
Eu tinha 11 anos mais ou menos e estava apaixonada. Que absurdo! 
Eu tinha acabado de mudar pra Piedade e começado a estudar em um lugar que não conhecia ninguém além de mim mesma, e um menino começou a fazer brincadeiras comigo e eu me apaixonei --' podem rir, eu deixo!

11° momento marcante:
Quando me aproximei da minha melhor amiga.
O que rolou foi o seguinte: nós duas estudávamos juntas e não gostávamos uma da outra, até o dia que me mudei pra perto da casa dela. Ok, até aí tudo bem. Mas bem no dia da mudança surge a menina do nada pra falar comigo. Eu pensei: poha, não. 
Hahaha eu não gostava dela. 
Mas aí começamos a ir embora juntas da escola, de noite sentávamos na rua na frente de casa, e era todo dia aquele grude, tanto na casa quanto na escola. E meu, foi uma das melhores coisas, porque é a amizade que permanece. Brigamos já, algumas vezes, mas nada que abalasse de verdade a nossa amizade. 
Uma coisa que nunca esqueço, NUNCA: quando fomos no show do grupo "Anjos de resgate" e ao tocar aquela música: "amigos, pra sempre, dois amigos que nasceram pela fé" e nós começamos a chorar e nos abraçamos. 

12° momento marcante:
Quando roubaram o caminhão do meu pai.
É, foi foda. Porque dinheiro é uma coisa que não se acha em qualquer esquina, e foi assalto a mão armada e tudo mais. Foi horrível. Claro que pra ele que viveu aquele momento, teve a arma apontada pra si, foi bem pior, mas eu imagino como deve ter sido.

13º momento marcante
 Minha avó resolveu ir embora.
Pois é, nem tudo na vida são flores e minha vó, que tinha vários problemas de saúde, piorou e ficou de cama por vários meses até que veio a falecer.
Lembro muito bem desse episódio. Minha mãe foi me buscar na escola - tchypo, ela nunca saiu do serviço pra nada. Eu já sabia o que tinha acontecido. A pior coisa. PIOR.
Outra coisinha que não esqueço, voltando um pouco ao momento em que conheci minha melhor amiga: quando minha avó morreu, e ela começou a chorar. Era pra eu chorar e, de fato eu estava chorando, mas fui perguntar o que era e ela me disse que não queria que minha avó morresse, porque ela sabia o quanto eu gostava dela. 
Merda. Vou chorar escrevendo esse post

13º momento marcante
No mesmo ano que tinha perdido minha vó, comecei a namorar. Minha avó faleceu em agosto e eu comecei a namorar em dezembro. Questão de meses e, adivinhem, estamos juntos ainda ♥ faremos 4 anos esse ano.




14° momento marcante:
Quando entrei de porta-bandeira pela primeira vez.
Eu sempre achei lindo, muito legal e um dia "os carinhas" da guarda-mirim me chamaram pra entrar com eles em um evento que ia acontecer. Eu fui né, toda feliz. E depois disso fui outras vezes e tchypo, amava. Mas do jeito que era, não como é agora.

15° momento marcante: 
Quando minha mãe, na minha festa de formatura, me chamou pelo microfone pra irmos embora. Aí gente, eu queria morrer. Todo mundo dançando, feliz da vida e a minha mãe me chamando. PAROU A MUSICA PRA ELA ME CHAMAR. Que absurdo. Que vergonha. Êêê Fernanda. HAHA

16° momento marcante:
Meu primeiro emprego.
Ganhava pouco, mas era meu primeiro dinheirinho. 
Fiquei dois anos trabalhando na Diretoria de Educação, na parte de atendimento. Era bom demais, como é da prefeitura, sempre prolongava os feriados, e como eu trabalhava meio período, em época de férias eu podia trabalhar por exemplo um dia todo e ficar um dia sem trabalhar. Era muito flexível!

17° momento marcante: 
Meu TCC sobre o câncer infantil. 
Sempre gostei de lidar com gente, mas esse tema me assustava porque eu não sabia o que eu ia encontrar pela frente. 
Até que eu e meu grupo começamos a frequentar o GPACI, em Sorocaba, para aplicarmos o projeto que havia sido desenvolvido. E foi nesse momento em que conheci crianças incríveis. 
A apresentação do TCC me marcou muito, porque um dos integrantes do grupo, raspou a cabeça em homenagem à todas as crianças com câncer. Era só soluço na apresentação. Ai Deus. Foi uma ótima experiência. 




18° momento marcante:
São vários. HAHA
Mas um em especial: quando o Gustavo se acidentou. Poutz, senti um medo tão desgracento de perder ele. 
Foi uma das piores experiências, porque eu queria ajudar ele e não tinha muito o que fazer, queria ficar perto dele mas não podia. Ah, uma angústia do caramba que não saiu de mim enquanto ele não teve alta do hospital.




Gentchy, é claro que esses foram alguns dos momentos marcantes! Se eu fosse listar todos, não ia ter como, mas mesmo assim espero que tenham gostado!
Um beijo <3